França: situação de reféns termina em prisão de alta segurança

Um recluso de Conde-sur-Sarthe, que havia feito dois guardas como reféns e ferido um deles, se rendeu após negociações com as autoridades, disse o ministro da Justiça da França.

As autoridades mobilizaram unidades de segurança na prisão e enviaram forças extras para a instalação, cerca de 250 km (155 milhas) a oeste de Paris. (Representativo)

Um preso da prisão de alta segurança Conde-sur-Sarthe, no noroeste da França, se rendeu depois de fazer dois guardas como reféns na terça-feira, disse o ministro da Justiça.

A tomada de reféns acabou. O preso se rendeu, disse o ministro da Justiça francês, Eric Dupond-Moretti, no Twitter.

O que aconteceu?

O incidente começou às 10h15, horário local (12h15 UTC), quando um preso atacou dois guardas, disse o Ministério da Justiça em um comunicado.

Pelo menos um policial ficou ferido no olho, disse o ministério.

As autoridades mobilizaram unidades de segurança na prisão e enviaram forças extras para a instalação, cerca de 250 km (155 milhas) a oeste de Paris.

A emissora francesa BFMTV relatou que os dois policiais detidos eram um homem e uma mulher. A guarda feminina foi libertada após várias horas, de acordo com a BFMTV.

O segundo guarda foi libertado após negociações com o ERIS, unidades regionais especializadas encarregadas de intervir durante incidentes de segurança em instalações penitenciárias, segundo Dupond-Moretti.

O que sabemos sobre o invasor?

O suposto agressor era um prisioneiro que cumpria pena de prisão perpétua, informou o jornal local Ouest France em sua edição online. De acordo com o jornal, ele havia sido admitido na instituição há menos de um mês.

A BFMTV disse que o homem foi condenado por estupro e assassinato.

A prisão de Conde-sur-Sarthe é conhecida por abrigar prisioneiros perigosos ou radicalizados.

Um incidente semelhante ocorreu na mesma prisão em 2019, quando um interno manteve um guarda como refém e um estagiário por horas antes que as equipes de segurança os resgatassem.