Oxfam: 11 pessoas morrem de fome a cada minuto em todo o mundo

Em um relatório intitulado 'The Hunger Virus Multiplies', a Oxfam quinta-feira disse que o número de mortos pela fome supera o de COVID-19, que mata cerca de sete pessoas por minuto.

Mortes por fome, Mortes por fome em todo o mundo, 11 morrem a cada minuto de fome, índice de fome global, Covid-19, notícias mundiais, relatório da Oxfam, expresso indianoO relatório listou vários países como 'os piores focos de fome', incluindo Afeganistão, Etiópia, Sudão do Sul, Síria e Iêmen - todos envolvidos em conflitos. (Representativo)

A organização antipobreza Oxfam disse que 11 pessoas morrem de fome a cada minuto e que o número que enfrenta condições semelhantes às da fome em todo o mundo aumentou seis vezes no último ano.

Em um relatório intitulado The Hunger Virus Multiplies, a Oxfam quinta-feira disse que o número de mortos pela fome supera o de COVID-19, que mata cerca de sete pessoas por minuto.

As estatísticas são impressionantes, mas devemos lembrar que esses números são compostos de pessoas que enfrentam sofrimentos inimagináveis. Mesmo uma pessoa é demais, disse a Presidente e CEO da Oxfam America, Abby Maxman.

O grupo humanitário também disse que 155 milhões de pessoas em todo o mundo vivem agora em níveis de crise de insegurança alimentar ou pior - cerca de 20 milhões a mais do que no ano passado. Cerca de dois terços deles passam fome porque seu país está em conflito militar.

Hoje, o conflito implacável em cima da precipitação econômica COVID-19 e uma crise climática agravante, empurrou mais de 520.000 pessoas à beira da fome, acrescentou Maxman.

Em vez de lutar contra a pandemia, as partes beligerantes lutaram entre si, muitas vezes dando o último golpe a milhões já atingidos por desastres climáticos e choques econômicos.

Apesar da pandemia, a Oxfam disse que os gastos militares globais aumentaram em US $ 51 bilhões durante a pandemia - uma quantia que excede em pelo menos seis vezes o que a ONU precisa para acabar com a fome.

O relatório listou vários países como os piores focos de fome, incluindo Afeganistão, Etiópia, Sudão do Sul, Síria e Iêmen - todos envolvidos em conflitos.

A fome continua a ser usada como arma de guerra, privando os civis de comida e água e impedindo a ajuda humanitária. As pessoas não podem viver com segurança ou encontrar comida quando seus mercados estão sendo bombardeados e plantações e gado são destruídos, disse Maxman.

A organização exortou os governos a impedir que os conflitos continuem a gerar uma fome catastrófica e a garantir que as agências de ajuda humanitária possam operar nas zonas de conflito e chegar aos necessitados. Também apelou aos países doadores para financiar imediatamente e totalmente os esforços da ONU para aliviar a fome.

Trabalhamos juntos com mais de 694 parceiros em 68 países. A Oxfam pretende alcançar milhões de pessoas nos próximos meses e está buscando financiamento urgente para apoiar seus programas em todo o mundo, disse o comunicado de imprensa do relatório.

Enquanto isso, o aquecimento global e as repercussões econômicas da pandemia causaram um aumento de 40% nos preços globais dos alimentos, o maior em mais de uma década. Este aumento contribuiu significativamente para empurrar mais dezenas de milhões de pessoas para a fome, disse o relatório.