Agentes russos impedem ataque terrorista do 'Estado Islâmico'

O serviço de segurança do Kremlin afirma que frustrou um plano para realizar um ataque na república do Daguestão, no sul do país. O FSB encontrou 'armas, uma grande quantidade de munições e um dispositivo explosivo'.

O FSB encontrou armas e munições que seriam usadas em um ataque terrorista perpetrado pelo Estado Islâmico. (DW)

O Serviço de Segurança Federal da Rússia (FSB) disse no sábado que evitou um ataque de um grupo terrorista com ligações ao grupo armado do Estado Islâmico (EI).

O FSB disse que prendeu quatro pessoas que deveriam realizar a ofensiva na conturbada república do Daguestão, no sul.

Membros do grupo planejavam detonar um explosivo perto de um prédio administrativo pertencente aos serviços de segurança, seguido de um ataque armado contra funcionários do Ministério do Interior na cidade de Makhachkala, disse o FSB em um comunicado.

Cache de armas

Além de prender quatro membros do grupo terrorista internacional do EI, os investigadores encontraram armas de fogo e armas brancas, uma grande quantidade de munições e um dispositivo explosivo, continuou o comunicado do FSB.

O serviço de segurança também descobriu telefones celulares contendo trocas com organizadores localizados no exterior.

No início deste mês, a polícia matou dois agressores que tinham como alvo as forças de segurança na república da Chechênia, que faz fronteira com o Daguestão.

Seis pessoas também foram mortas durante uma operação de contraterrorismo em outubro na capital chechena de Grozny, incluindo dois membros da força de segurança.

Queixas de longa data

Os territórios da Rússia na região entre os mares Negro e Cáspio são disputados há séculos.

O conflito mais recente na Chechênia ocorreu durante duas guerras nas décadas de 1990 e 2000.

Com a desintegração da União Soviética, os separatistas chechenos declararam independência. A guerra estourou em 1994 e depois de dois anos de luta, as forças russas se retiraram da região.

O combate recomeçou menos de três anos depois, resultando em um grande número de vítimas de ambos os lados. Grozny foi amplamente destruída e os militares russos estabeleceram o controle sobre a cidade na primavera de 2000, encerrando oficialmente a guerra, com a insurgência e as hostilidades continuando em vários graus desde então.

A região tornou-se cada vez mais islâmica em caráter nos últimos anos. Embora sua influência permaneça limitada, o EI realiza ataques esporádicos contra as autoridades na Chechênia, no Daguestão e na vizinha Inguchétia.