Quer saber mais sobre os EUA, Talibã e Afeganistão? Sete livros para ler

Se você deseja saber exatamente quais foram os papéis dos EUA e do Taleban no Afeganistão e as razões para o caos e o derramamento de sangue aparentemente sem fim naquele país, aqui estão sete livros que lhe darão uma melhor compreensão do assunto.

Guerras Fantasmas: A História Secreta da CIA, Afeganistão e Bin Laden, da Invasão Soviética a 10 de setembro de 2001 e Diretoria S: O C.I.A. e Guerra Secreta da América no Afeganistão e Paquistão, 2001–2016 por Steve Coll

Enquanto o Afeganistão aparentemente desce ao caos, muitos se perguntam como as coisas ficaram tão ruins. Afinal, quase duas décadas atrás, o Taleban havia fugido de Cabul, deixando-o para as forças americanas. Uma era parecia ter chegado ao fim no Afeganistão e o estado problemático parecia destinado a ter um governo democrático.

Infelizmente, isso não aconteceu.

Cabul está de volta com o Taleban, e desta vez parece que os EUA fugiram, gerando cenas que lembram sua retirada de Saigon em 1975. Como as coisas aconteceram assim? Podemos não saber com certeza por um tempo, mas vários autores e jornalistas previram isso. Portanto, se você deseja saber exatamente quais foram os papéis dos EUA e do Taleban no Afeganistão e as razões do caos e do derramamento de sangue aparentemente sem fim naquele país, aqui estão sete livros que lhe darão uma melhor compreensão dos assuntos.

Alguns podem parecer um pouco desatualizados em termos de publicação, mas seu conteúdo continua relevante. Infelizmente, sim.

Adeus a Cabul
Por Charlotte Lamb

Adeus Cabul

O título do livro de Charlotte Lamb sobre o Afeganistão parece sinistramente em sincronia com as manchetes do dia. Ela escreveu o livro em 2015 e foi lançado com muitas críticas mistas, mas com o passar do tempo, ele emergiu como um dos poucos relatos abrangentes e facilmente os mais sensíveis da vida no Afeganistão sob a administração auxiliada pelos EUA. De cenas de guerra ao mercado, até mesmo algum tempo com o presidente Hamid Karzai (que surge como uma figura muito estranha) à morte de Bin Laden, está tudo aqui. E escrito com muita sensibilidade. Alguns podem achar os detalhes um pouco demais (o livro abrange mais de 600 páginas), e outros podem pensar que Lamb se concentra mais nas pessoas do que na política e estratégia geral, mas é assim que Lamb escreve e sua análise da situação básica em O Afeganistão provou ser tragicamente profético.

As guerras do Afeganistão
Por Peter Tomsen

As guerras do Afeganistão

Peter Tomsen foi um ex-diplomata que serviu no Afeganistão e se você está procurando um relato detalhado do conflito no país de 1970 a cerca de 2010, então este é talvez o volume perfeito para você. Tomsen fornece um caminhão de informações sobre os diferentes conflitos ao redor do Afeganistão e como o país passou de um peão na Guerra Fria a um campo de batalha entre os EUA e o Taleban. Tomsen também é um dos poucos autores que fornece uma análise sensata da situação tribal e do papel que o Paquistão desempenha para ilustrar por que as coisas estão dando errado no país. Com mais de setecentas páginas, pode ser uma leitura um pouco pesada em termos literais, mas Tomsen escreve fluentemente, tornando-se uma leitura muito boa para quem deseja saber sobre as principais figuras da crise afegã. É mais sobre aqueles que estão no poder e aqueles que querem estar no poder do que aqueles que estão no local, mas é uma leitura convincente, no entanto.

O Talibã: a história dos senhores da guerra afegãos
Por Ahmed Rashid

O Talibã: a história dos senhores da guerra afegãos

O livro de Ahmed Rashid sobre o movimento estudantil que pegou em armas e literalmente assumiu o controle do Afeganistão é uma leitura atraente. Principalmente porque foi escrito antes dos atentados de 11 de setembro ao World Trade Center, que trouxeram o Taleban para os holofotes. Portanto, fornece uma das contas menos coloridas do movimento e como ele surgiu. A escrita pode parecer um pouco menos fluente às vezes, mas Rashid vai direto às raízes do movimento, fornecendo perfis das pessoas que o conduziram ao seu crescimento. E profeticamente, ele prevê que o movimento teria seus problemas, mas continuaria a ser uma força no Afeganistão, que não poderia esperar estabilidade enquanto estivesse por aí. Vinte anos depois de ter sido escrito, o livro soa verdadeiro e continua sendo leitura obrigatória para qualquer pessoa que queira entender o Taleban. Há um segundo volume sobre o Taleban escrito por Rashid intitulado Taliban: Militant Islam, Oil and Fundamentalism in Central Asia, mas este é o primeiro a ser lido.

O inimigo errado: América no Afeganistão, 2001-2014
Por Carlotta Gall

O inimigo errado: América no Afeganistão, 2001-2014

Carlotta Gall foi outra jornalista que previu claramente que os EUA não iriam realmente a lugar nenhum no Afeganistão, apesar de toda a sua esmagadora superioridade tecnológica e armamentista. No entanto, o que torna o livro de Gall muito diferente dos outros é o fato de que ela realmente sente que os maiores problemas dos EUA não eram o Taleban ou os senhores da guerra locais ou mesmo o corrupto governo afegão, mas seu ex-aliado, o Paquistão. Não é uma afirmação vazia - Gall apóia sua teoria com uma série de entrevistas com autoridades do Afeganistão, Paquistão e até mesmo dos Estados Unidos. Em termos de narração, este é talvez o livro mais divertido desta lista e balança a um ritmo que deixaria um thriller orgulhoso. O que é assustador, entretanto, é que não há ficção aqui - a fria duplicidade dos governos, os negócios secretos e as contagens do corpo no terreno são todos verdadeiros. Como é o que Gall corretamente previu como um futuro muito incerto. E muitos concordariam com sua imagem do Paquistão como Brutus para o americano Júlio César.

Direcção S: O C.I.A. e as Guerras Secretas da América no Afeganistão e Paquistão, 2001–2016 e Guerras fantasmas: a história secreta da CIA, do Afeganistão e de Bin Laden, da invasão soviética a 10 de setembro de 2001
Por Steve Coll

Direcção S: O C.I.A. e Guerra Secreta da América no Afeganistão e Paquistão, 2001–2016 e Guerra Fantasma: A História Secreta da CIA, Afeganistão e Bin Laden, da Invasão Soviética a 10 de setembro de 2001

Esses dois livros são para aqueles que amam espionagem e ações secretas de inteligência. O envolvimento da CIA no Afeganistão e seu papel no apoio à oposição à União Soviética no Afeganistão e na obtenção de ajuda do Paquistão a esse respeito voltariam a assombrar no pós-2001. E esses dois volumes bastante volumosos, abrangendo mais de 1.500 páginas, documentam as mudanças rápidas em como a inteligência dos EUA tentou lidar com as questões no Paquistão e no Afeganistão. Desde o financiamento de uma jihad contra a União Soviética até a tentativa de derrubar as mesmas pessoas que eles haviam promovido, com a ajuda de um aliado extremamente pouco confiável no Paquistão, cujas simpatias pareciam estar muito firmemente com o Taleban às vezes, estes são na verdade relatos definitivos do erros que reduziram o Afeganistão à bagunça que é hoje. Estes também são dois dos livros mais aclamados da lista, com Ghost Wars até reivindicando um Pullitzer! Não se intimide com seu tamanho, apenas leia. E ficar chocado com o quão mortal e imperfeito até mesmo um super poder pode ser.

Guerra contra o Talibã: onde tudo deu errado no Afeganistão
Por Sandy Gall

Guerra contra o Talibã: onde tudo deu errado no Afeganistão

Com seu envolvimento desde a presença soviética no país, Sandy Gall tem um excelente entendimento das questões que afetam o Afeganistão. Nesse volume extremamente bem escrito (publicado em 2012), ele teve a clarividência de destacar que as coisas estavam indo muito mal no Afeganistão, porque os recursos da guerra contra o terrorismo estavam sendo desviados para o Iraque. Ele também destaca os desafios enfrentados pelo povo afegão e como eles estão fartos dos conflitos constantes e das mudanças de regime. O tratamento de Gall com a Índia é um pouco estranho (ele parece vê-lo como um estado hindu com tendências expansionistas), mas eu aconselharia ignorar isso e se concentrar em sua análise da situação no Afeganistão. Este é também o mais fino de todos os livros da lista, portanto é também o mais fácil de ler em termos numéricos puros.

Afeganistão: onde só Deus vem para chorar
Por Siba Shakib

Afeganistão: onde só Deus vem para chorar

Grande parte da preocupação em torno do retorno do Taleban gira em torno de como o regime pode tratar as mulheres do Afeganistão. Este livro pode parecer um pouco datado e alguns podem achar a escrita um pouco simplista demais, mas não há como negar a história que ele conta. Onde só Deus vem para chorar é a história de Shirin-Gol contada ao documentarista Siba Shakib, - a vida de uma mulher no Afeganistão desde os russos ao primeiro regime talibã. É profundamente perturbador e chocante em muitos lugares, com Shirin sendo casada para pagar uma dívida de jogo, literalmente estar na rua e tentando de alguma forma escapar do que muitos insistem que é seu destino. É um livro brutal e corajoso.